Rio Grande do Sul reúne o maior número de facções criminosas do país

BNC significa a presença da facção criminosa Bala na Cara no Rio Grande do Sul

Do UOL
Crimes violentos matam seis pessoas por dia. Dados divulgados pelo 17º Anuário Brasileiro de Segurança Pública mostram que o Rio Grande do Sul possui pelo menos 15 organizações criminosas disputando o poder entre si e elevando o número de mortes nas cidades gaúchas. As duas maiores facções do Estado são Bala na Cara e os Manos. Reportagem de Fabíola Perez ouviu especialistas que mostram a relação entre as disputas do tráfico de drogas e o elevado número de homicídios no Estado.

Em 2022, o Rio Grande do Sul registrou 2.154 mortes violentas intencionais, um aumento de 3,8% em relação ao ano de 2021. Na média, são quase seis (5,9) assassinatos por dia, todos os dias. “A migração de um traficante de um grupo para outro leva a muitos acertos de contas”, afirma Rodrigo Azevedo, da PUCRS. Duas cidades gaúchas, Alvorada, na Grande Porto Alegre, e Rio Grande, no sul do Estado, ficaram entre as 50 cidades mais violentas do Brasil. Em Rio Grande, o conflito se dá entre os Manos e os Tauras. Outras fações em ação são Antibala, Comando pelo Certo, Farrapos, Unidos pela Paz, Mata Rindo, Cebola, PCI e PCC. A Secretaria de Segurança Pública informou que os índices de criminalidade estão em queda.

As contas milionárias de Bolsonaro e Mauro Cid. Nos primeiros seis meses deste ano, o ex-presidente Jair Bolsonaro recebeu R$ 17,2 milhões via transações por Pix. Relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) aponta que a movimentação atípica pode estar relacionada à vaquinha promovida entre seus apoiadores para pagar multas com a Justiça. Em 2022, para a eleição, Bolsonaro declarou patrimônio total de R$ 2,3 milhões. Reinaldo Azevedo escreve sobre a tempestade de Pix em apenas 13 dias deste ano.

Movimentação bancária atípica, incompatível com o patrimônio, também foi verificada pelo Coaf nas contas de Mauro Cid, tenente-coronel que era ajudante de ordens de Bolsonaro e está preso desde maio em Brasília, suspeito de fraudar cartões de vacina. O militar movimentou R$ 3,2 milhões entre junho de 2022 e janeiro de 2023. Os dados foram enviados à CPMI que investiga os atos golpistas de 8 de janeiro. Relatório a que o UOL teve acesso mostra que Mauro Cid fez transações bancárias com suspeitos nas fraudes da vacina.

As francesas vão vir que é só veneno. A linguagem dos narradores de futebol contagia aos poucos; amenizando a solidão dos que vibram com gols africanos e defesas vietnamitas, há homens e mulheres de carne e osso atrás das telas de TV e celulares, gente falando português numa Copa feminina em inglês. Dureza: o Brasil nunca venceu a França. Na quinta (27), as jogadoras da seleção brasileira se perfilaram, sentadas com as pernas cruzadas, ou em pé, para a foto oficial da delegação que está na Austrália. São 23 atletas e 37 profissionais da comissão técnica e outras.

As seleções do grupo D voltam a se enfrentar nesta sexta (28). Às 5h30 começou o duelo entre Inglaterra, uma das favoritas ao título, e Dinamarca. Às 8h, tem China x Haiti. No sábado (29), o Brasil joga às 7h com a França; leia sobre o apoio da torcida organizada Movimento Verde e Amarelo na Austrália e acompanhe o placar de cada jogo na tabela de UOL Esporte.

Bem-vindos os que fugiram da escravidão. Pela primeira vez, o Censo Demográfico registra em detalhes a população quilombola do Brasil. Segundo dados do IBGE divulgados na quinta (27), são 1.327.802 as pessoas que se autodeclaram quilombolas, distribuídas em 1.696 municípios. Destacam-se cidades da Bahia e do Maranhão com expressivas populações negras, de descendentes de escravos, sendo que quase 90% dos quilombolas ainda vivem em territórios não titulados.

Na definição da antropóloga Beatriz Accioly Vaz, o termo quilombo nem sempre se refere a movimentos insurrecionais do passado de escravidão, “mas consistem em grupos que desenvolveram práticas cotidianas de resistência na manutenção e reprodução de seus modos de vida, e na consolidação de um território próprio”. Reportagem da Folha de S.Paulo permite localizar em cada cidade quantos são os quilombolas. Entre as capitais, Salvador tem o maior número (15.897), seguida por Macapá (8.935), São Luís (8.294), Rio de Janeiro (2.866) e Porto Alegre (2.295).

Explosão no Paraná mata haitianos. A maioria dos trabalhadores mortos na explosão em silos de cooperativa em Palotina, no Paraná, é de imigrantes do Haiti. A Polícia Civil identificou sete haitianos e um brasileiro entre as vítimas fatais do acidente na C. Vale na tarde de quarta (26).

Além dos mortos, a explosão deixou 11 feridos. As vítimas foram encontradas nos túneis ligados aos silos da empresa agroindustrial, que armazenavam 12 mil toneladas de soja e 40 toneladas de milho, segundo a cooperativa. Os funcionários faziam a manutenção da estrutura quando ocorreu a explosão. Na noite de quinta (27), as buscas continuavam por mais um trabalhador haitiano soterrado. A Polícia Civil investiga as causas do acidente.
Botão Voltar ao topo

Bloqueador de anúncios detectado

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo. Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.